Porque eu me tornei Vegan

Assortment of fruits and vegetables

Desde criança eu sempre tive uma alimentação saudável, nunca foi perfeita, mas saudável, principalmente comparada com a alimentação de outras crianças que eu conhecia. Na nossa casa sempre teve muitas frutas e vegetais, refrigerantes e doces eram só em ocasiões especiais, mas era normal de sexta-feira pedir pizza e de domingo ter macarronada. Conforme eu fui crescendo eu mantive esses hábitos. Resolvi estudar nutrição, até mesmo por toda a influência que eu tive em casa. Me tornei vegetariana aos 21 anos, mas aos 23 eu fui morar fora e pela facilidade voltei a comer carne.

 2 anos eu me tornei pescetarian (apenas peixe) e esse ano depois de fazer muitas pesquisas, assistir documentários, ler diversos livros sobre o assunto eu tomei a decisão de me tornar vegan, não consumo mais queijos, ovos ou qualquer outro alimento de origem animal.

Durante muito tempo, eu pensei no que os outros iriam pensar se eu me torna-se vegan, como meus amigos e familiares iriam reagir, como seria nas festas de natal e se meus amigos não me convidassem mais para eventos ou jantares, enfim eu estava muito mais preocupada na reação dos meus amigos e familiares do que com a própria dieta 🙁 

 foi comprovado diversas vezes o bem que faz para a saúde a alimentação à base de plantas e o mau que faz para a saúde, comer alimentos de origem animal em grande quantidade. O documentário “Forks over knives” (troque a faca pelo garfo) na minha opinião é um dos melhores, vale muito a pena assistir e ver todos os estudos de anos, que comprovam os benefícios da alimentação à base de plantas.

E eu também sempre fui uma pessoa muito ligada aos animais, meus pais, minha irmã e eu sempre ajudamos os cachorros e gatos de rua (adotamos vários) e nos filmes eu sempre torcia mais pelos animais do que pelos humanos haha  Quando eu ia comer carne eu tentava não pensar que aquilo era um animal morto, mas era muita hipocrisia da minha parte se dizer uma defensora dos animais e fechar os olhos para todo o sofrimento que acontece com um animalzinho inocente. Descobri que o queijo, leite e ovos causam tanto sofrimento para os animais ou até mais do que o próprio abate. Me preparei psicologicamente para não comer mais queijo, o meu ponto fraco, mas decidi que valia a pena pelo bem dos animais.

O documentário “Terráqueos” mostra apenas a verdade, é um documentário muito duro, mas mostra o que acontece em um abatedouro. Mesmo quem não vai parar nunca de comer carne, deveria assistir para entender como funciona essa indústria e depois tomar sua decisão. Não vou entrar em detalhes dessa questão, mas apenas queria salientar que todos esses animais, têm uma inteligência igual ou maior que a de um cachorro e eles sentem, dor, medo, frio… Eu não quero fazer parte desse sofrimento! A indústria de animais de abate é bilionária e enquanto eles puderem influenciar milhões de pessoas para continuar comendo carne, obviamente eles irão fazer.

O consumo extravagante de carne tem sobrecarregado muito o nosso planeta, com demandas enormes de água potável e espaço para criação de animais. Os especialistas dizem também que a poluição por fertilizantes está colocando em risco a vida das pessoas e do meio ambiente. Mais de 80% do nitrogênio e fósforo utilizados em fertilizantes é consumido pelo gado. As enormes plantações de soja que devastam a Amazônia brasileira, por exemplo, vão parar nas rações de animais criados em sistema de confinamento na Europa e na Ásia e é assim que os animais acabam consumindo os agentes tóxicos.

Hoje eu me sinto como no filme Matrix, eu decidi tomar a pílula vermelha e descobri um novo mundo para o qual milhões de pessoas decidiram fechar os olhos.

A ONU sugere que o que deveríamos fazer enquanto sociedade é comer metade da carne que consumimos hoje, tendo como ideal uma dieta vegan.

Gente, assistam os filmes e leiam sobre o assunto, sei que é triste, mas podemos fazer a diferença, nem que seja diminuindo a quantidade de carne consumida e hoje em dia tem tantas opções vegan para carnes, queijos e leite 🙂 que nem dá pra acreditar!

L

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*